Este "Glossário" tem como objetivo reunir uma lista alfabética de termos do Failover Cluster com suas respectivas definições. Sinta-se a vontade para incluir novos glossários.


A | B | C D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y Z


A
  • Array: Array é uma matriz é uma disposição sistemática de objectos, geralmente em linhas e colunas. Em Cluster um array é relacionado a disposição dos discos. Veja Disk Array
  • Active Node: É um nó do cluster que está executando pelo menos um grupo de funções (role group). Um grupo de função só pode estar ativo em um nó de cada vez e todos os outros nós que podem hospedar o grupo é considerado passivo para esse grupo particular.
  • Active/passive cluster: É um conjunto que tem pelo menos um nó que executa um grupo de funções, e nós adicionais ao grupo podem ser hospedados, mas estão atualmente em um estado de espera. Esta é uma configuração típica, quando apenas um único grupo de funções é implantado em um failover cluster.
  • Active/active cluster: é um conjunto no qual cada nó esta ativamente armazenando ou executando um grupo de funções. Esta é uma configuração típica, quando vários grupos são implantados em um único failover cluster para maximizar o servidor ou o uso de sistema.
  • Cluster witness disk or file share: São usados para armazenar as informações de configuração do cluster e para ajudar a determinar o estado do cluster quando alguns, se não todos, os nós do cluster não pode ser contatado.


B


C
  • Cluster: Um grupo de servidores independentes (nós) que são acessador e apresentados à rede com um único sistema.
  • Cluster Resource: É um serviço, aplicação, endereço IP, disco ou nome de rede definidos e gerenciados pelo cluster. Dentro de um cluster, recursos de cluster são agrupados e gerenciados juntos usando o Cluster Resource Groups, agora conhecidos como Role Groups.
  • Client access point: Termo usado no Windows Server 2012 failover cluster que representa a combinação de um nome da rede e o recurso de endereço IP associado. Por padrão, quando um novo role group é definido, um client access point é criado com um nome e um endereço IPv4. IPv6 é suportado em failover clusters, mas um recurso IPv6 pode ser adicionado a um grupo existente ou um grupo de função genérico (generic role group) precisam ser criados.


D

  • Disk Array: Um disco de armazenamento que contém múltiplos drives de disco.


E




F
  • Failover: É o processo de movimentação de um grupo de funções do nó ativo atual para outro nó disponível no cluster. Failover ocorre quando um servidor fica indisponível ou quando um recurso no grupo do cluster falha e não pode se recuperar dentro do limite de falha. Failover também pode ser efetuado manualmente para a manutenção de um nó do cluster.
  • Failback: É o processo de um grupo de clusters em movimento automaticamente para um nó preferencial após o nó preferido retornar como membro do cluster. O failback não é habilitado por padrão, e pode ser ativado dentro das propriedades de um grupo de funções.

G




H

  • Heartbeat: Termo usado para representar a comunicação que é mantida entre os nós do cluster e determina o status do nó.


I
  • iSCSI Tecnologia: Usa rede IP para enviar comandos SCSI (Small Computer System Interface).
  • iSCSI initiator:  É um cliente iSCSI. E funciona como as placas HBA enviando comandos SCSI e encapsulando em pacotes IP. Com o iSCSI Initiator que você pode ter acesso a um dispositivo, como se fosse instalado em uma máquina local.
  • iSCSI target: Um servidor iSCSI geralmente um ARRAY.
  • iSCSI initiator port: O ponto final de uma sessão iSCSI, e não é uma porta TCP.
  • iSCSI network portal: Um endereço IP ou um grupo de endereços IPs usados pelo iSCSI initiator ou o Target.
  • iSCSI Connection: Uma conexão TCP que carrega informações de controle, comandos SCSI e dados sendo lidos ou gravados.



J




K

L

  • LUN Logical Unit Number: Um numero que identifica um unidade logica que é endereçada pelo protocolo SCSI. Muito usado para se referir a unidades de discos lógicos criadas em um SAN.



M

  • MPIO (Multipath I/O) : MPIO é o balanceamento de carga e modelo de disponibilidade de iSCSI. O Multipath I/O (MPIO) é uma estrutura que permite a você desenvolver soluções de vários caminhos que contenham informações específicas do hardware necessárias para otimizar a conectividade com suas matrizes de armazenamento


N
  • Node: Um node (nó) é um servidor individual, que é membro de um cluster.



O


P

  • Passive node: É um nó no cluster que atualmente não está executando nenhum grupo de funções (role grups).


Q


  • Quorum: Em cada cluster, um único recurso é designado como recurso de quorum. Esse recurso mantém os dados de configuração necessários para recuperação do cluster. Esses dados, na forma de logs de recuperação, contêm detalhes de todas as alterações que foram aplicadas ao banco de dados do cluster. Isso fornece armazenamento independente de nós para os dados sobre configuração e estado do cluster. Além disso, quando cada nó lê os dados do quorum, dependendo da informação obtida, o nó determina se ele deve permanecer disponível, desligar o cluster, ou ativar os grupos de funções específicas no nó local. Para aumentar ainda mais, failover cluster pode ser configurado para usar um dos quatro modelos de quórum.



R
  • Role Group: Os recursos do cluster estão contidos dentro de um cluster em um conjunto lógico chamado de Role Group ou historicamente conhecido com um cluster ou serviços e grupo de aplicações. Role Groups são as unidades de failover no cluster.


S
       
  • SAN Storage Area Network: Um dispositivo de armazenamento em rede. como por exemplo um sistema de Disk Array (Arrays de Disco)
  • Shared storage: É um termo usado para representar os discos e volumes apresentados ao Windows Server 2012 cluster nodes como logical unit numbers (LUNs).


T



U




V
  • Virtual cluster server: É um serviço ou grupo de aplicativos que contém um ponto de acesso de cliente (client access point), um recurso de disco, e pelo menos um recurso adiconal. Recurso do servidor de cluster virtual (Virtual cluster server resources) são acessados pelo domain name system (DNS) ou um nome NetBIOS que faz referência a um endereço IPv4 ou IPv6. Um servidor de cluster virtual (Virtual cluster server) pode, em alguns casos, também ser acessados diretamente usando o endereço IPv4 ou IPv6. O nome e o endereço IP permanece o mesmo, independentemente de qual nó do cluster do servidor virtual está sendo executado.

W

X



Y




Z



Veja Também