MRS – Mailbox Replication Service, para que serve? Parte 01



Introdução

Em muitos projetos vemos constantemente a tarefa de move mailbox, muitos administradores não conhecem como este processo funciona, quem o gerencia e o que pode ser feito para potencializar os famosos move mailboxes.

Pensando nisto escrevi este artigo para demonstrar o poderoso processo que ocorre em background utilizando o serviço MRS (Mailbox Replication Service).

Porém antes de iniciarmos os segredos do Maibox Replication Service (MRS), vamos falar um pouco de sua estrutura .

Para que serve o MRS?

O MRS foi introduzido nos serviços do Exchange na versão Exchange Server 2010, vale ressaltar que você pode validar esta informação no artigo:

Overview of Services Installed by Exchange Setup
http://technet.microsoft.com/en-us/library/ee423542.aspx .

Serviço

Nome

Security

Dependências

Startup

Roles

Microsoft Exchange  Mailbox Replication Service

MSExchangeMailboxReplication

Local

System

Exchange Active Directory Topology e Net. TCP Port Sharing Service

Automatic

CAS

 

Este serviço é responsável por processar Move Mailbox, Export Mailbox, Import Maibox requests dentro do ambiente de Exchange Server 2010.

O Mailbox Replication Service (MRS) esta configurado para rodar diretamente nos servidores com a Role Client Access Server (CAS), porém este serviço pode inclusive configurado para trabalhar fora do modelo default que é Automatic, caso não exista nenhum tipo de move, import ou export requests dentro de seu ambiente de Mensageria.

Quando processamos um Move Mailbox seja ele entre Mailbox Databases, um import dentro da Mailbox Database ou um Export de dados para fora da Mailbox Database, estamos utilizando o serviço de Mailbox Replication Service (MRS).

Nota: A utilização das features de Import e Export com MRS estão disponíveis após o Exchange Server 2010 Sp1.

Existem Diferenças entre o MRS e os Serviço de Replicação da DAG

Sim! E isto é algo que devemos conversar, pois não são poucos os administradores que confundem os serviços e suas determinantes.

Por mais que os nomes sejam parecidos, temos uma grande diferença entre os serviços, acompanhem abaixo as duas tabelas.

Microsoft Exchange Mailbox Replication Service (MRS)

Serviço utilizado para Move, Import e Export Requests, este serviço é gerenciado pela role CAS e tem como principal função fazer o inicial e término de requisições de movimentação.

Serviço

Nome

Security

Dependências

Startup

Roles

Microsoft Exchange  Mailbox Replication Service

MSExchangeMailboxReplication

Local

System

Exchange Active Directory Topology e Net. TCP Port Sharing Service

Automatic

CAS

 

Microsoft Exchange Replication Service (DAG)

Serviço utilizado para replica dados entre Maibox Databases Ativas e Passivas dentro da DAG (Database Availability Group), tem como principal função replicar os logs de transação *.log da base ativa, para suas cópias as bases passivas.

Serviço

Nome

Security

Dependências

Startup

Roles

Microsoft Exchange

Replication Service

MSExchangeRepl

Local

System

Exchange Active Directory Topology

Automatic

Mailbox

 

Cada um dos serviços demonstrados acima, tem um processo e uma utilização diferenciada, a importância de cada um deles é impar dependendo do ponto de vista e do que estamos efetivamente trabalhando.

Como funciona a arquitetura do Mailbox Replication Service (MRS)

Vamos visualizar como o processo de Mailbox Replication Service funciona, vamos visualizar a imagem abaixo.

Nota: Esta imagem foi baseada no Poster Architecture e no livro Exchange Server 2010 Inside Out


Vamos explicar o processo de Arquitetura do Maibox Replication Service (MRS).
  1. O Administrador cria um Move Request (Requisição de Movimentação), esta pode ser feita pelo EMC (Exchange Management Console) ou via EMS (Exchange Management Shell). Isto origina um update no AD e uma mensagem na System Mailbox, solicitando o trabalho.
  2. As instâncias do MRS (Mailbox Replication Service) checam constantemente as caixas System Maiboxes.
  3. MRS inicia a movimentação de dados do DB1 para o DB2 e muda seu status para In Progress (Em Progresso). Para que este processo inicie o MRS localiza e numera todos os itens atualmente dentro da Mailbox origem que deverá ser movida.
  4. Quando o processo esta quase finalizando a tarefa, o MRS  bloqueia a Maibox no DB1 (origem) por um período curto de tempo.
  5. Ao terminar a movimentação o MRS verifica se todos os registros numerados no passo 3, estão de acordo, caso isto esteja correto, o MRS modifica os ponteiros do AD para o DB2, ativa a Mailbox que estava travada e em seguida deleta a origem do servidor antigo.

Nota: Ressaltamos que quando movemos uma Mailbox  de um Database (origem) para um outro Database (destino), iremos gerar logs, não esqueça de estipular esta métrica para que os processos não parem por falta de espaço em disco.



Até mais,
Rover Marinho
Twitter: @rovermarinho
Blog: http://rovermarinho.wordpress.com