Entendendo o Hyper-V. - Arquitetura.

Entendendo o Hyper-V. - Arquitetura.

Entendendo o Hyper-V. 

 

Arquitetura do Hyper-V

 

Tudo começa quando com o tipo de hardware da máquina, esse hardware precisa suportar Processadores X64 com Intel-VT ou AMD-V e estar habilitado no setup da bios.

O Hyper-V é uma tecnologia de virtualização baseada em Hypervisor. O Hypervisor é a plataforma de processamento de virtualização que permite que múltiplos Sistemas Operacionais compartilhem uma única plataforma de hardware. A pilha de Virtualização é executada com a partição pai e tem acesso direto aos dispositivos de hardware. A partição pai cria partições filho, que hospedam os Sistemas Operacionais convidados.

Após a instalação inicial do Windows Server 2008 R2, o sistema operacional pode acessar o hardware do servidor diretamente. Depois de adicionar a função Hyper-V, uma fina camada de hypervisor é acrescentada entre o sistema operacional e os recursos de hardware. O sistema operacional instalado no momento torna-se a partição pai de onde você pode criar e gerenciar partições filho. As partições filho não tem acesso direto aos outros recursos de hardware e uma visão virtual dos recursos é apresentada, como dispositivos virtuais.

A partir dai, é possível fazer a instalação de função do Hyper-V, com a função instalada o Windows Hypervisor gerencia a programação do processador e da alocação da memória física.

A comunicação entre o HyperVisor e o modo de Kernel do Windows é dada através do HiperCalls, justamente porque é a primeira camada de comunicação envolve o VID e VSP, é dela que acontece as chamadas para utilização dos dispositivos físicos com os virtuais.

  •  O VID - Virtual Insfrastructure Driver é responsável pelo gerenciamento da partição, memoria e processador entregue a maquina virtual.
  •  VSP - Virtualization Service Provider utiliza o VMBUS para entregar dispositivos específicos  para ter suporte no VSCs.

O VMBus trabalha bem perto do kernel do Sistema operacional virtualizado fazendo que os drivers sejam lidos e apresentados com a devida funcionalidade ao sistema operacional instalado, o processo de comunicação começa com o VSC se comunicando com o VSP em uma partição sobre o VMBus, realizando assim o acesso aos dispositivos da máquina virtual.

Após o modo de kernel, temos o modo de usuário.

No modo de usuário é gerenciado o Sistema Operacional e a Aplicação.

Os responsáveis por esse gerenciamento são:

 

  • Windows Management Provider ( WMI)
  • Virtual Machine Management Service (VMMS)
  • Virtual Machine Worker Process (VMWP)

 

WMI providencia e gerencia a administração a máquina virtual, tanto utilizando o console do Hyper-V ( localmente) quanto acessando remotamente a máquina virtual.

VMMS é o responsável por gerenciar o estado da máquina virtual, (PARADA, LIGADA, PAUSADA, DESLIGADA)

VMWP representa as ações que ocorrem nos dispositivos de processadores virtuais emulados, e também com a placa mãe virtual.

 

Drivers na partição pai são usados para acessar o hardware do servidor. Partições filho usam dispositivos virtualizados através dos drivers do Servidor Virtual Cliente (Virtual Server Client - VSC), que se comunicam através do Barramento de Máquina Virtual (Virtual Machine Bus - VMBus) com os Provedores de Serviços Virtuais (Virtual Services Providers - VSP) na partição pai. Requisições para os dispositivos virtuais são redirecionadas tanto através do VMBus ou através do hypervisor para os dispositivos na partição pai.

O VMBus gerencia os pedidos. O VMBus é um canal de comunicação lógico inter-partição. A partição pai hospeda os VSPs, que se comunicam sobre o VMBus para lidar com solicitações de dispositivo de acesso a partir das partições filho. As partições filho hospedam VSCs, que redirecionam solicitações de dispositivos para VSPs na partição pai através do VMBus.

 

Publicado por:

Autor: Thiago Guirotto de Oliveira

MCT – MCSA – MCITP – MCTS – MCC  MCP

www.thiagoguirotto.com.br 

Classificar por: Data da Publicação | Mais Recente | Mais Úteis
Comentários
Página 1 de 1 (1 itens)