As grandes novidades do Windows Server 2019 versão 1709

1 - Nova cadeia de versões (Atualizações)

A partir desta nova versão, teremos duas opções para receber atualizações de recursos:

  1. Canal de manutenção a longo prazo (LTSC): escopo de cinco anos de suporte base e outros cinco anos de suporte estendido. Com a opção de fazer upgrade para a próxima versão do LTSC a cada dois ou três anos, com o mesmo suporte dos últimos 20 anos;
  2. Canal semestral (SAC): esse é um benefício para (SA) Software Assurance e é totalmente compatível na produção. A diferença é que ele oferece suporte por 18 meses e há uma nova versão a cada seis meses;

2 - Contêiners de Aplicativos e Microserviços

A imagem de contêiner do Server Core foi bem otimizada para alguns cenários em alto nível, dentre estes como poder migrar bases de código ou aplicativos em contêineres com alterações poucas alterações.

3 - Gerenciamento moderno

Com o grande Projeto Honolulu, agora podemos obter uma experiência bem simplificada da infra, integrada e segura a fim de ajudar os administradores do setor de TI a gerenciarem a solução de problemas, a configuração e os cenários de manutenção essenciais. 

Esse Projeto inclui a próxima geração de ferramenta com uma interface simplificada, integrada, segura e ampliável. 

Onde está incluído uma nova experiência de gerenciamento intuitiva para gerenciar computadores, servidores do Windows, Clusters de failover, além da infraestrutura de hiperconvergência com base nos Espaços de Armazenamento Diretos, reduzindo os custos operacionais.

4 - Computação

Abaixo alguns dos principais recursos:

  • - Nano contêiner e contêiner do Server Core: em primeiro lugar, esta versão promove a inovação dos aplicativos. O Servidor Nano ou Nano como host é preterido e substituído pelo contêiner Nano, que é o Nano funcionando como imagem do contêiner;
  • - Server Core como um host de contêiner (e infraestrutura), fornece mais flexibilidade, densidade e desempenho para aplicativos atuais sob um processo de modernização e marca os novos aplicativos desenvolvidos usando o modelo de nuvem;
  • - O Balanceamento de carga de VM também é melhorado com o reconhecimento de sistema operacional e aplicativo, garantindo o melhor balanceamento de carga e desempenho dos aplicativos;
  • - O Suporte de memória da classe de armazenamento para VMs permite que os volumes de acesso direto formatados para NTFS sejam criados em DIMMs não voláteis e expostos às VMs Hyper-V. Isso permite que as VMs do Hyper-V aproveitem o desempenho de baixa latência de dispositivos de memória da classe de armazenamento;
  • - A Memória Persistente Virtualizada (vPMEM) é habilitada ao criar um arquivo VHD (.vhdpmem) em um volume de acesso direto em um host, adicionando um Controlador vPMEM a uma VM, além de adicionar o dispositivo criado (.vhdpmem) a uma VM. O uso de arquivos vhdpmem nos volumes de acesso direto em um host para vPMEM proporciona a flexibilidade de alocação e aproveita um modelo de gerenciamento conhecido para adicionar discos às VMs;
  • - Armazenamento de contêiner: volumes de dados persistentes nos volumes compartilhados do cluster (CSV). No Windows Server, versão 1709, bem como no Windows Server 2016 com as últimas atualizações, adicionamos suporte para que os contêineres acesse volumes de dados persistentes localizados em CSVs, incluindo os CSVs em Espaços de Armazenamento Diretos;

5 - Segurança e Garantia

Agora com Criptografia de rede, no qual permite criptografar rapidamente os segmentos de rede na infraestrutura de rede definida pelo software a fim de atender às necessidades de segurança e conformidade.

O Serviço Guardião de Host (HGS) como uma VM protegida está habilitado. Antes desta versão, a recomendação era implantar um cluster físico de três nós. 

Agora também há suporte para Linux como VM protegida.

6 - Armazenamento

Principais mudanças.

- Réplica de armazenamento: a proteção de recuperação de desastres adicionada por Réplica de armazenamento no Windows Server 2016 agora é expandida para incluir:

  • Failover de teste: a opção para montar o armazenamento de destino agora é possível por meio do recurso de failover de teste. Você pode montar um instantâneo do armazenamento replicado em nós de destino temporariamente para fins de teste ou backup;
  • Suporte do Projeto Honolulu: o suporte para gerenciamento gráfico de replicação de servidor para servidor agora está disponível no projeto Honolulu. Isso elimina a necessidade de usar o PowerShell para gerenciar uma carga de trabalho de proteção contra desastres comuns.

- SMB (ponto importante):

  • SMB1 e remoção de autenticação de convidado: o Windows Server, versão 1709, não instala mais o cliente SMB1 e o servidor por padrão. Além disso, a capacidade de autenticar como um convidado no SMB2 e posterior está desativada por padrão. Para obter mais informações;
  • Segurança e compatibilidade de SMB2/SMB3: foram adicionadas mais opções de compatibilidade e segurança de aplicativo, incluindo a capacidade de desabilitar os bloqueios em SMB2+ para aplicativos herdados, bem como exigir assinatura ou criptografia com base em conexão de um cliente;

- Eliminação de duplicação de dados:

  • Eliminação da duplicação de dados agora oferece suporte a ReFS: você não deve escolher entre as vantagens de um sistema de arquivos moderno com ReFS e a eliminação da duplicação de dados: agora, você pode habilitar a eliminação da duplicação de dados, na qual você pode habilitar ReFS. Aumente a eficiência do armazenamento em mais de 95% com ReFS;
  • API de DataPort para entrada/saída otimizada para volumes com eliminação de duplicação: os desenvolvedores agora podem aproveitar o conhecimento que a Eliminação da duplicação de dados tem sobre como armazenar dados de modo eficaz para mover os dados entre volumes, servidores e clusters de forma eficiente;

7 - RDS

RDS agora é integrado ao Azure AD, portanto, os clientes podem aproveitar as políticas de Acesso condicional, Autenticação multifator, Autenticação integrada a outros aplicativos SaaS usando o Azure AD e muito mais.

8 - O QUE É O PROJETO HONOLULU

Honolulu é um conjunto de ferramentas de gerenciamento localmente implantado e baseado em navegador que permite a administração local de servidores Windows sem dependência do Azure ou da nuvem. Honolulu dá aos administradores de TI controle total sobre todos os aspectos de sua infraestrutura de servidor e é particularmente útil para o gerenciamento em redes privadas que não estão conectadas à Internet.

Mas Como funciona Honolulu?

O aplicativo Honolulu é executado em um navegador da web. O aplicativo gerencia os nós Windows Server 2016, Windows Server 2012 R2 e Windows Server 2012 por meio do gateway Honolulu que você pode instalar no Windows Server 2016 ou no Windows 10. O gateway gerencia os servidores via Remote PowerShell e WMI sobre WinRM. 

##Nosso Vídeo

- Neste vídeo faço a instalação da NOVA Versão de Testes do Windows Server: Windows Server 2019 Insider Preview Build 17623;

- Também fazemos um overview na solução;

- Além de Instalar o Projeto Honolulu;

LINK DOWNLOAD: 

https://www.microsoft.com/en-us/softw…

Veja mais em: https://blogs.windows.com/windowsexpe…

A versão 2019 do sistema operacional da Microsoft para servidores incluirá melhorias no suporte para cenários de nuvem híbrida, suporte para o Windows Defender Advanced Threat Protection (ATP) e outras novidades.

[VÍDEO]

[Olá Especialistas e Ninjas da Comunidade!

=> Nossa contribuição para toda a comunidade e valor agregado profissional.]